Correndo Descalço - Pesquisar no site:

Recursos

Corredores Descalços

Entre em Contato

Links

edit SideBar

Recursos » PerguntasFrequentes

Perguntas Frequentes sobre Correr Descalço

Esta página tentará responder questões que corredores descalços e não-descalços fazem a maioria das vezes aos corredores descalços. Esta é uma página em constante construção. Para sanar outras dúvidas ou mandar sua sugestão, participe da comunidade Corra Descalço no Google+.


  • P1: Por que correr descalço?
  • R1: Porque é natural. Porque me faz bem e me sinto melhor. Porque nunca mais tive unhas pretas que caem. Pela liberdade. Para mim é mais leve, mais rápido, mais silencioso e mais saudável. Não é doloroso. Correr na chuva é mais divertido. É o fim das bolhas causadas por tênis. É o fim do chulé. Etc...
  • P2: Como fortalecer minha sola mais rapidamente?
  • R2: Isto não é recomendável. De fato, não é preciso apenas fortalecer a sola, é preciso fortalecer outras estruturas dos pés e pernas que estão atrofiados pelo uso de calçados. P.ex., ligamentos, tendões, ossos e músculos. Só fortalecendo a sola certamente irá provocar uma lesão em outra estrutura. P.ex., os músculos da panturrilha e o tendão de Aquiles são muito exigidos com o uso da Técnica de Corrida descalça. Sempre leve em conta o princípio de começar aos poucos e progredir vagarosamente. Assim você pode evitar lesões.
  • P3: Não cria calos?
  • R3: Não pode ser considerado calo. Calo cria-se quando o calçado pressiona em um ponto específico do pé, por exemplo, no calcanhar ou na lateral do dedinho. Descalço, de fato, toda a parte da sola que toca o chão vira couro. A pele passa a ter a textura de couro.
  • P4: Não machuca? E se eu pisar em um prego, vidro, etc?
  • R4: Em minha experiência, menos que os tênis. A vida é feita de riscos, mas o risco de pisar nestas coisas não é tão grande quanto se imagina. Ao começar a correr descalço você fica bem mais atento aonde pisa. A coordenação olho-pé para fugir destes obstáculos fica aguçada. Além disto, um prego só é ofensivo se estiver "de pé", normalmente eles ficam "deitados" no chão. "De pé" só quando estão cravados em alguma coisa, como uma tábua. Fuja das tábuas. Já os cacos de vidro encontrados no asfalto normalmente estão triturados pela ação de centenas de carros que já passaram sobre eles. Miúdos assim, não são páreo para o couro da sola dos pés.
  • P5: Correr descalço vai me livrar das lesões?
  • R5: O objetivo da corrida descalça não é te livrar automaticamente das lesões e das dores. O objetivo é aprender boa técnica de corrida através do feedback sensitivo descobrindo, assim, onde estão erros na sua forma de correr. Se ignorar o feedback e não alterar a forma, não irá ver progresso.
  • P6: Quais os melhores Calçados Minimalistas para fazer a transição para a corrida descalça e como usá-los?
  • R6: Ao contrário do que os fabricantes dizem, a transição dos tênis para o descalço NÃO SÃO os Calçados Minimalistas. De fato, a transição dos tênis para os Calçados Minimalistas É a corrida descalça! O feedback sensitivo vai lhe ensinar naturalmente a correr, sem dor, com leveza e como a natureza "projetou". Além disto, há um efeito memória. Correndo com tênis vicia-se na mecânica de aterrissar com o calcanhar e, pode ocorrer o mesmo com os minimalistas, com o prejuízo de não ter o amortecedor no calcanhar. Depois de se tornar um "expert" na corrida descalça dá prá usar os minimalistas e manter a técnica descalça.
  • P7: Sem tênis, onde carregar o chip das provas?
  • R7: Preso ao tornozelo, p.ex., em um porta-chip.
  • P8: É possível usar um podômetro (foot pod) ao se correr descalço? Como?
  • R8: Tal como o chip de corrida (pergunta anterior), o corredor descalço Henrique, nos informa que seu Polar RS800CX com o foot pod S3 funciona perfeitamente se preso ao tornozelo, como mostra a sequência de figuras:
Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar


  • P9: Do ponto de vista científico, em quais parâmetros a corrida descalça difere da calçada?
  • R9: Segundo esta pesquisa, do ponto de vista metabólico não há diferenças significativas. Do ponto de vista mecânico, correr descalço aumenta a cadência, diminui o tempo de contato com o solo, diminui o deslocamento vertical do centro de gravidade e também diminui o pico da força de reação do solo.

Entrevista de Leonardo ao site Confraria Esportiva

CE: Quando e por que razão você começou a correr descalço?

L: Nos dois primeiros anos eu corria de tênis e sentia muitas dores na face interna das canelas (canelite). Com base em pesquisas na Internet e na conversa com outros corredores, tentei as soluções-padrão para o problema: trocar de tênis, fazer alongamentos e fazer fortalecimento dos músculos anteriores da canela. A mudança para um tênis com mais amortecimento só piorou a situação. O mais efetivo era o fortalecimento da musculatura anterior mas ele não tratava da causa do problema, apenas aliviava o sintoma. Durante minhas pesquisas na Internet achei o site www.runningbarefoot.org, do americano Ken Bob Saxton. Ele corre descalço e expõe, lá no site, o porquê e o como começar a correr descalço. Li, achei que fazia sentido, experimentei e deu certo. Minha canelite sumiu de imediato. Desde então corro descalço.

CE: Como foi a sua transição para a corrida descalço?

L: Não se começa a correr descalço da noite para o dia. Eu era um viciado em calçados, como a maioria das pessoas na sociedade moderna. Passei a ficar descalço o máximo que podia durante o dia e, ao final dos treinos, eu tirava o tênis e corria só uns 500m descalço, três vezes por semana. As pessoas pensam que basta engrossar a sola para se correr descalço. Mas não é só isto, correr descalço usa outra musculatura. Assim, tem que ser um processo paulatino, dar tempo para músculos e tendões, que estavam ociosos, se fortalecerem. Correr descalço era prazeroso e sem dor nas canelas, ao contrário do tênis. Então, depois de um tempo, resolvi correr apenas descalço. Tive que voltar ao zero na corrida. É como se estivesse começando de novo. Corria só 1km por dia três vezes por semana e fui aumentando aos poucos, 2km num dia, pulava um dia, 1km no outro, pulava outro dia, mais 2km e assim sucessivamente até que uns seis meses depois estava fazendo a mesma quilometragem semanal da época do tênis. É preciso paciência, pois o resto do corpo já está acostumado a um volume alto de exercício físico, eu compensava a vontade de mais atividade aeróbica pedalando na ergométrica.

CE: Você já se machucou correndo descalço?

L: Uma regra importante é correr onde se pode ver o chão. Durante o dia se enxerga facilmente estes perigos e dá tempo de desviar. Depois que se começa a correr descalço chegamos a conclusão que é pouco exagerado este temor que as pessoas tem de cacos de vidro, pregos e etc. Nossa coordenação olho-pé fica mais aguçada. Assim, nunca me cortei, de vez em quando um caquinho de vidro penetra na pele e fica espetando. São tão pequenos que nem causam sangramento. Outra dica é lavar bem os pés depois dos treinos e procurar objetos estranhos.

CE: Qual a sua opinião sobre os Calçados Minimalistas existentes no mercado?

L: Estes calçados são importantes para proteger os pés dos elementos que causam trauma ou lesão. Por exemplo, em um lugar pedregoso ou se o asfalto estiver muito quente, nestas situações eles são uma ótima alternativa. Entretanto tenho visto pessoas mudando direto do tênis para estes calçados. Em minha opinião, estas pessoas estão se privando de um dos benefícios da corrida descalço que é o feedback sensitivo. É este tato que nos ensina a correr mais suavemente e com a técnica correta. Se você quer aprender a correr descalço, corra descalço, aprenda a técnica, fortaleça seus ossos, músculos, tendões e a pele dos pés e das pernas. Use estes calçados depois que você tiver aprendido a correr descalço.

CE: Você aconselharia alguém a correr descalço?

L: Respondendo por mim, se você se dá bem correndo com tênis, não haveria motivo para correr descalço. Eu possuia uma lesão recorrente e isto foi um grande motivador, se você está na mesma situação, talvez seja interessante experimentar e ver se funciona. Mas também gostaria de responder a esta pergunta usando uma frase do Ken Bob Saxton, o guru dos corredores descalços: ...eu NÃO recomendo correr descalço. Esta decisão, e responsabilidade, é somente sua. Entretanto, eu o recomendo A PENSAR.... Pensar sobre porque nós compramos o mito de que os humanos foram prejudicados pela natureza, enquanto todos os outros animais se dão bem sem vestir calçados.


Também pode ser útil...

A entrevista no Transpirando.com do Corredor Leonardo.

A FAQ do experiente Barefoot Rick Roeber.

Se você lê em inglês, leia também a FAQ do site RunningBarefoot.org.

Editar - Imprimir - Pesquisar
Página modificada em 20 de julho de 2016, às 14h58