Correndo Descalço - Pesquisar no site:

Recursos

Corredores Descalços

Entre em Contato

Links

edit SideBar

Recursos » TécnicaDeCorrida

O que acontece quando corremos descalço corretamente.

Forma de correr:
  • Quando se corre descalço as pernas permanecem 100% do tempo levemente flexionadas, de modo que um corredor descalço pareça mais baixo que a sua altura real.
  • A coluna deve estar ereta e alinhada com o corpo.
  • Os passos devem ser mais curtos e rápidos.
  • O pé deve aterrissar embaixo do corpo.
  • A velocidade se dá pela ação da gravidade e não pela ação de empurrar o corpo com o pé de trás.
  • Relaxe, relaxe e relaxe, os pés, panturrilhas, quadríceps, preste atenção nas partes tensionadas do corpo e relaxe-as.

Como conseqüência desta forma o primeiro contato do pé com o solo se dará com a frente (ou bolas) dos pés. Uma maneira de iniciar o teste é começar a correr no lugar (joelhos levemente flexionados), e então inclinar-se levemente para frente e evitar a queda dando passos, você verá que naturalmente ocorrerá o movimento, tente não empurrar com o pé de trás, apenas se manter caindo para frente.


O que acontece em cada ponto:
  • Frente dos pés:
    • As bolas dos pés, são estruturas complexas de pequenos ossos, articulações e tendões, e por esse motivo se tornam maleáveis e adaptáveis às diversas superfícies a que sejam submetidas. O formato dessa região dos pés, permite melhor equilíbrio por ser mais larga, e por utilizar músculos para manter sua posição, colaborando para o fortalecimento dos músculos estabilizadores dessa região.
    • O primeiro contato com o solo se dará com essa parte do pé, que unida com a ação dos dedos, forçados naturalmente para cima pouco antes do contato, consegue uma absorção tão boa do impacto que nem se ouve muito ruído.
  • Arco do pé:
    • O arco do pé, possui alguns ossos, articulações, ligamentos, e músculos, e possui flexibilidade suficiente para formar um arco que leva o contato do solo até o calcanhar , e realizar um pouco de amortecimento devido à ação de seu músculos, porém uma vida utilizando tênis (que possuem um suporte para o arco, impedindo seu fortalecimento) tirou sua função.
  • Calcanhar:
    • Primeiramente, o calcanhar não foi feito para amortecimento, ao contrário das bolas dos pés .O calcanhar é uma ponta rígida, com pouco ou nenhum sistema para dissipar impacto (apenas uma fina camada de gordura) e com pouca estabilidade devido ao seu formato arredondado, mas agora olhe, toque, brinque, pise em algum quina, com as bolas dos pés, e você verá que ela é maleável, e adaptável às superfícies, mas atenção, apenas quando seus músculos estiverem relaxados, se estiverem tensos será tão doloroso quanto aterrissar com o calcanhar. Daí a importância de relaxar todo o corpo, e, principalmente, os pés, enquanto se corre descalço.
      • Andando ou correndo por pouco tempo descalço, utilizando a técnica usada por nós enquanto usamos tênis, se percebe que aterrissar com o calcanhar causa dor e desconforto, confirmando o não amortecimento do mesmo. O calcanhar possui, na verdade, outra função que é servir como uma estrutura que nos permite ficar em pé com pouco ou nenhum esforço, ao contrário dos demais animais que possuem o calcanhar elevado dificultando muito no equilíbrio quando em duas patas, além de ter uma papel importante no processo de amortecimento de nossos passos, como veremos depois.
      • Mas porque é tão natural aterrissar com o calcanhar? Tenho alguns motivos que percebi analisando meu andar de tênis e sem tênis:
        1. Com o salto dos tênis nosso calcanhar fica mais alto, ajudando para que o mesmo toque o solo antes.
        2. O movimento dos dedos, ande descalço e veja que seus dedos são naturalmente forçados para cima pouco antes de seu pé tocar o chão, então reparei em qual a conseqüência de forçar os dedos para cima dentro do tênis, e vi que isso faz com que diminua o ângulo da canela com o peito do pé, facilitando a aterrissagem com o calcanhar.
        3. Em nosso caminhar “natural” utilizando tênis, nossa perna geralmente fica reta, fazendo com que nosso pé aterrisse na frente do nosso corpo, tornando impossível aterrissar com outra parte que não o calcanhar, devido as angulações com o solo.
  • Pernas:
    • Quando aterrissamos com a perna reta e com o calcanhar antes, podemos perceber que o tornozelo e panturrilha simplesmente não realizam nenhum trabalho de amortecimento, utilizando-se apenas a articulação do joelho e o quadríceps para diminuir a propagação do impacto.
    • Descalço, depois de o calcanhar estar tocando o chão, o ângulo entre a canela e o peito do pé reduz, e a panturrilha é acionada para realizar a dissipação de parte do impacto. E isso só é possível por causa das pernas flexionadas e da aterrissagem com as bolas dos pés.
    • Logo após o ângulo entre a panturrilha e a parte de trás da coxa diminui, acionando o quadríceps para realizar a última parte do processo de amortecimento, e para evitar que o indivíduo caia devido a ação da gravidade.

Este texto foi escrito por Fernando, baseado na leitura do site http://www.runningbarefoot.org e em experiências pessoais.

Editar - Imprimir - Pesquisar
Página modificada em 10 de fevereiro de 2010, às 01h57